Ritual de Inverno

CAP. 60

Deimos, com seu imenso cosmo negro e aterrorizante, paralizou os cavaleiros de Athena. Todos eles ficaram se debatendo no chão, Somente Klowis não foi atingido pelo Terror Wave.

O deus foi a loucura e se multiplicou em varias copias de si mesmo. O dourado juntou em suas mãos uma lufada de vento frio e lançou varios aneis de gelo que paralizaram todas as copias de Deimos, sobrando somente o original livre.

O aquariano disse: Eu li todos esses livros, Deimos. Não tem como você me derrotar, eu sei o seu ponto fraco como se você fosse meu filho. Porem eu não tenho como selar tua alma, somente teu imenso cosmo.  – A lufada de vento cobriu Deimos e o paralizou, como se a brisa fria tornar-se uma corda (Kalisto). O cosmo de Klowis tornou-se superior ao de Deimos. O dourado explicou que ele era devoto à Athena a à Odin ao mesmo tempo.

Sete safiras apareceram em meio a tempestade de gelo criada pelo cosmo de Klowis e circundaram Deimos.

Sete pilares de gelo apareceram no lugar das safiras. Pilares altos e, totalmente esculpidos com vinhas e penas; e lá no topo havia mulheres segurando vasos. Deimos, provou de seu proprio veneno, o terror.

O vento frio parou repentinamente.

Esse é o meu ultimo ataque que direciono à você Deimos – disse o dourado – Winter Ritual!

Os pilares brilharam num tom azul celeste e a luz emanada por eles ascenderam aos céus. O cosmo de Deimos foi sendo sugado pelos pilares, e os pilare spor sua vez enegreciam por causa do cosmo absorvido.

O deus gritava, pois não queria que seu imenso cosmo fosse retirado de si, era quase impossível ser derrotado por meros humanos.

O poder de Deimos se esvai, e o terror sentido pelos cavaleiros de Athena também.

Uma chuva de penas cai sobre os pilares de inverno.

Um novo inimigo aparece.

Anúncios

Desfeixo

CAP. 59

As paredes do salão principal, ruiram e a luz do Sol e o vento frio de Graad Azul encheram o lugar.

Klowis de Aquario faz com que o vento circule a sua volta, e Deimos escurece a luz do Sol ao seu redor, deixando o ambiente enegrecido.

O deus avança numa velocidade incrivel. O dourado levanta seu braço direito aos céus e e faz circulos de gelo com os dedos – Kalisto – ele diz, e os arcos de gelo paralizam Deimos. Ele entra em um certo desespero, mas consegue se livrar do golpe sofrido e acerta Klows na boca do estomago.

As portas do slão principal se abrem. Bellier carrega Kallisto no colo, Nilo, sem a armadura de ouro, imediatamente avança pra cima de Deimos. Ele, o deus, o olha demoniacamente e avança pra cima dele também. Uma lufada de vento surge no meio dos dois. Klowis surge, e empurra seu discípulo para longe, sofrendo o golpe em seu lugar.

Nilo pergunta o porque dele ter feito isso, e seu mestre responde: O rio nilo realmente é impressionante, mas ainda não é a hora do rio seguir seu fluxo. O mestre levantou-se e disse para que Nilo prestasse muita atenção no que estava prestes a acontecer.

Klowis ainda acrescentou: Deixe o fluxo das águas emanarem em ti, como eu faço agora – o cosmo dourado e quente do lider do Graad Azul tornou-se de um tom azul profundo e gélido como a propria morte – Aprenda a transformar sua natureza sem que seu inimigo perceba – Seu cosmo se tornou violento como o fogo, de uma hora pra outra – E não se esqueça, nunca perca uma batalha, sempre leve com você o que seu inimigo tem de mais precioso. Observe.

Após as palavras do mestre, Nilo entrou em prantos, pois sabia o que estava prestes a acontecer.

Deimos urrou e seu cosmo negro emergiu de dentro de si urrando também, fazendo com que toda a terra de Graad Azul sentisse o terror em suas veias.

Klowis afirmou que tiraria do deus, o que ele tinha como mais precioso. Deimos riu. Kallisto, mesmo inconsiente, deixou uma lagrima rolar.

Futuro de Kallisto

CAP. 58

 

A guerreira de Ares se encontra arfando e com partes de sua armadura caindo aos pedaços, igualmente seu irmão Kallisto. Ele ergue seus punhos e declara aquele ataque como sendo ultimo e pede ajuda à Athena sua deusa guardiã, Atlantida faz o mesmo e, seus cosmos tomam a forma e seus respectivos deuses. O cosmo dos guerreiros se eleva num nivel realmente muito alto. Dolpher diz que seu oponente irá ver seu futuro como nunca antes havia visto. O bronzeado avisa que ele não terá piedade. Seus punhos se congelam com o ar frio do Graad Azul, o poderoso golpe de gelo congela tudo ao redor do cavaleiro de Athena antes mesmo dele realiza-lo de forma mortal. Atlantida brilha com um tom azulado e, uma lagrima rola de seus olhos. Eles avançam: “Eternal Ice Punch!!!” Vs “Delphos Oracle!!!”

Atlantida chega bem perto do cavaleiro seu irmão e encosta em sua cabeça. O mundo parou por um instante e Kallisto viu ele mesmo sendo nomeado o Lider do Graad Azul, viu também um exercito de cavaleiros azulados servindo ao seu país para guardar uma simples anfora. No golpe de Dolpher, o bronzeado se viu segurando uma garotinha, sua filha, e uma mulher lhe abraçava fortemente pelas costas, sua esposa e uma fonte com as estatuas de seu pai e seus irmãos em volta. Atlantida beijou o rosto de seu irmão guerreiro e sussurou em seu ouvido – Viva meu irmão, viva por Graad Azul…. – Kallisto deixou uma lagrima saltar de seus olhos e continuou seu ataque descontroladamente e desfez sua irmã num ataque só, fragmentando-a em cristais de gelo de eterna tristeza. Kallisto caiu em prantos e a porta onde os outros cavaleiros de ouro estavam se rompeu e eles puderam se reunir ao filho do lider.

– O que houve Kallisto? Me responda!!! – clamou desesperadamente por respostas Nilo de Áquario. O jovem guerreiro abraçou a perna do dourado e disse com uma voz pranteosa  que havia matado a todos os seus irmãos numa guerra estupida. Nilo abaixou-se para consola-lo.

No salão principal, Klowis e Deimos continuavam lutando desesperadamente. O lider estava certo que não perderia para o deus. Porem o filho de Ares se levantou com poder total e disse que o Terror estava pra começar.

Ouve-se uma explosão.

 

O garoto

CAP. 57

 

Demetri levanta seu enorme martelo e exclama com firmeza –Marte Smash! – uma onda de poder cruza o salão destruindo o solo num grande espaço, por pouco os cavaleiros de Athena conseguem escapar. Bellier avança sobre a arma de Ares porem o desafiante chega bem perto do cavaleiro de ouro e diz em seu ouvido – Posso ser uma arma insignificante para vocês dourados, mas posuuo uma velocidade incrivel, Body Collide – o oponente empurrou o cavaleiro de Aries para longe dele; o impacto foi tão grande que o dourado mal conseguiu levantar e seu lado esquerdo do rosto foi manchado de sangue.

Hoshi se colocou em frente ao seu mestre na tentativa de protege-lo, porem o guerreiro de Ares surgiu em sua frente para usar o mesmo golpe usado anteriormente, porem Nilo colidiu com Demetri deixando o discipulo de Bellier ileso. O Martelo de Ares deu um tapa rapido em Nilo o jogando no chão. Artico foi acudir seu mestre. O guerreiro levantou seu martelo gigante a fim de elimina os cavaleiros, mas uma voz jovial quebrou o silencio – Kalisto! – o brutamontes paralizou e um garoto de cabelos vermelhos apareceu pela fenda causada por Demetri.

O garoto levantou seu punho para o céu e uma nuvem que parecia ser feita de diamantes rodeou o jovem. Ele desceu o punho em direção à Demetri exclamando – Diamond Dust! – uma rajada de gelo atravessou o peito do guerreiro de Ares.

– Onde você aprendeu esses golpes garoto – perguntou Nilo espantado, pois ele nunca o vira lá em suas viajens.

– Me chamo Erikson, obrigado por perguntar – respondeu – eu vi um senhor treinando uns garotos e resolvi treinar por conta… – Nilo e Artico se espantaram pois esses golpes pertenciam somente a Klowis e seus discipulos, um garoto comun não era capaz de aprender por conta como ele havia feito. Bellier colocou sua mão sobre o ombro do jovem guerreiro de cabelos flamejantes e disse que o cosmo dele era impressionante e o convidou para se juntar aos treinamentos no Santuário. Nilo se intrometeu dizendo que antes de resolver qualquer assunto deste tipo, era necessário atenção no que esta acontecendo no momento. Bellier e os outros assentiram.

Atlantida e Kallisto se preparam para o ultimo golpe de cada um, para o folego final.

Klowis continua golpeando o deus sem pestanejar um segundo.

 

 

 

Nº9

“ADEUS”

Good-bye mundo tchau, tchau!

Eu fui embora, mas eu deixei os meus!

Para brilhar, e salgar…

A terra e conquistar os seus!

Mundo tchau, tchau… Adeus!

Por que me chama de Buda já te falei

Não me chama de Maomé já te avisei

O Meu nome é Jesus, sim Jesus!

Não me confunda com um dos seus!

Minha vida Eu entreguei na Cruz

Para que Você possa ver a Luz

Agora para de se enganar

E vem me coroar!

Good-bye mundo tchau, tchau!

Eu deixei o mundo, mas Eu vou voltar!

E será logo muito em breve,

Descerei e buscarei os fiéis

Good-bye mundo tchau, tchau!

Eu me fui, mas a promessa ficará!

Fique firme, nunca se esqueça,

Permaneça e no final vou te buscar!

Mundo tchau, tchau… Adeus!

EU marquei a historia em antes e depois!

Agora marco a sua historia em antes e depois!

Olha, eu venci o mundo, imundo!

Posso te pegar mesmo lá no fundo!

Minha vida Eu entreguei na Cruz

Para que você possa ver a Luz

Agora para de se enganar

E vem me coroar!

Good-bye mundo tchau, tchau!

Eu te venci, e a chave em minhas mãos está!

Tema aquele, que decide…

Se te consome ou te dá a Vida!

Good-bye mundo tchau, tchau!

Meu sangue puro foi o preço para ate salvar!

Dos teus pecados, enganados…

Para um dia comigo vir morar!

Mundo tchau, tchau… Adeus!

EU sou a luz o caminho e a vida, Aquele que te dá paz e esperança!

O messias que veio para libertar, para muitos salvar!

Mas não me quiseram, pediram pra passar!

Escolheram outro para salvar!

Agora no tronco desejam Me pregar!

Pois não há nenhum outro para matar!

Minha vida Eu entreguei na Cruz

Para que você possa ver a Luz

Agora para de se enganar

E vem me coroar!

Good-bye mundo tchau, tchau!

Eu fui embora, mas eu deixei os meus!

Para brilhar, e salgar…

A terra e conquistar os seus!

Good-bye mundo tchau, tchau!

Eu fui embora. Mas um dia vou voltar!

Para libertar das cadeias…

O povo meu que cativo está!

Mundo tchau, tchau… Adeus!

Lunatto